Ir para o conteúdo principal

A- A+

José Nelto discursa na solenidade de posse do governador Ronaldo Caiado

Discurso proferido pelo deputado José Nelto (MDB) em nome da situação, durante a solenidade de posse do governador Ronaldo Caiado (1º de janeiro de 2019).

Saudações, 

Enfim, começamos uma nova era em Goiás. A era da esperança, da civilização, da boa governança.  

O governo do tempo novo foi um tragédia para o Estado de Goiás e está deixando um dívida de 32 bilhões para os cofres goianos. Esse dinheiro saiu do erário, mas só Deus e os saqueadores que a este governo serviram sabem onde ele foi parar.

Na segurança pública há um déficit de quase 10 mil homens e os salários da tropa estão lá em baixo. Eu sempre previ e tive a coragem de dizer tudo isto desta tribuna. 

Felizmente há tempo para tudo e o tempo para a máscara do tempo novo cair chegou e a máscara caiu. Com ela caíram o coronel Marconi e seus astecas. Saio da Assembleia Legislativa de Goiás rumo ao Congresso Nacional com a consciência tranquila do dever cumprido. Minha coragem e determinação contaram no tempo certo tudo o que estava acontecendo, como o tinha de fazer, eu fiz. 

Goiás não aguentava mais o que acontecia aqui. Com o governo Caiado, acaba a era das trevas. 

É o fim do caos que estamos vendo na Educação, saúde, segurança pública e conservação da malha viária. É o fim da exploração do povo com aumentos absurdos nas contas da água e luz e nos combustíveis.  Graças a cobrança do ICMS mais caro do Brasil. Se este absurdo fosse apenas para a tributação dos combustíveis já seria inaceitável, mas ainda tem mais. Há um verdadeiro festival de aumento de todos os impostos, que acarretam preços altos em todos os produtos, incluindo os da cesta básica, punindo as camadas mais carentes da população.  

Os servidores públicos passaram a conviver com salários atrasados e constantes ameaças.

Os professores são massacrados em Goiás. Já se retirou a gratificação por titularidade deles, desde 2012. Agora estão acabando com os concursos públicos e enterrando de vez a carreira de professor. 

Há um déficit de 12 mil professores concursados.

A previdência dos servidores foi alterada para pior, sem contar a constante ameaça de perda da licença-prêmio e do quinquênio. Além disso, não tiveram um direito legal respeitado – a reposição salarial pela data-base. Na Bahia, Marconi afirmou categoricamente que perseguia professores que lhe faziam oposição e que era contrário à carreira pública. Isso agora acaba com o governo Caiado. 

Com um déficit bilionário nas contas do Estado, o governador decidiu punir o cidadão goiano o quanto pôde. As tarifas de água e energia foram reajustadas em mais de 120% desde 2015. O governo também aumentou o ICMS da gasolina para 31%, sendo agora o segundo mais alto do Brasil, e também chegou a dobrar o imposto de transferência de herança e doação, o chamado imposto das viúvas. Só recuou depois de pressão da oposição.

O Estado de Goiás tem hoje a carga tributária mais alta do Brasil. 

Este Estado também é o da indústria das multas com verdadeiras pegadinhas nas rodovias, o próprio governador chegou a se orgulhar de multar um mesmo motorista até sete vezes em menos de um minuto. Vários postos de pedágio no Estado foram criados, para punir ainda mais o cidadão goiano. Além do Fundo Rodovidas, já pagamos o IPVA mais alto do Brasil. 

Este é um governo que aumenta impostos, corta direitos, mas se recusa a cortar gastos supérfluos. São mais de 30 bilhões gastos por ano com shows caríssimos, acima do valor do mercado. Sem contar os mais de R$ 120 milhões anuais em publicidade. 

Falta dinheiro para tudo, mas não falta para propagandas, shows, mordomias e viagens internacionais. Também não falta dinheiro para asfaltar certas rodovias que interessam aos apaniguados da máquina pública estadual. 

Em pleno século 21 vimos um verdadeiro desrespeito com os pagadores de impostos:   O senhor Zé Eliton autorizar a construção de uma rodovia que passa dentro de sua propriedade rural, onde não passa sequer um calango. Um verdadeiro absurdo! O Estado mergulhado na maior crise fiscal e o ex-governador Zé Eliton priorizando o pagamento de estrada própria ao invés de pagar os  funcionários públicos. 

Sendo  dois repasses: de R$ 8,3 milhões em 14 de dezembro e R$ 3,39 milhões no dia 20, totalizando R$ 11,69 milhões. Mais um absurdo desse governo do tempo novo. 

Vejam como o Estado está. Estradas destruídas, saúde sucateada e entregue a OSs, que pagam salários milionários aos seus diretores, escolas sem investimentos, com salários de fome para os servidores e estruturas danificadas. 

Pelo Estado afora mais de 440 obras estão paralisadas.

Falta de responsabilidade com o dinheiro dos pagadores de impostos! A reputação do Tempo novo comandado pelo ex-governador coronel Marconi Perillo foi alvo de várias Operações:   Operação compadrio, Operação Delevery, Operação Decantação e Monte Carlo.

Agora, nos últimos meses, o povo goiano descobriu o que eu sempre avisei. Ninguém tem acesso aos gastos e à folha de pessoal das OSs. É uma verdadeira caixa-preta que encobre salários milionários de aliados deste governo imoral. A era da caixa-preta, enfim, acabou. Teremos transparência com o governo Caiado.

No campo da segurança pública, talvez nosso principal problema, vamos enfim virar a página. Os últimos oito anos entraram para a história como os oito anos mais violentos da história de Goiás. Quem diz é o Mapa da Violência, que sempre coloca Goiás entre os cinco mais violentos do Brasil. Na época dos governos do MDB, era o 19º mais violento, agora estamos nesta posição vergonhosa.

Junto com os piores índices do País, na escalada da violência temos também os piores salários do Brasil, com vários policiais ganhando R$ 1500 bruto e R$ 1100 líquido, além de serem a obrigados a dormir em delegacia. Em 120 cidades goianas não há sequer delegados, várias delegacias já foram fechadas, a sensação de insegurança tomou conta desses ambientes. A crise nos presídios goianos repercutiu tão mal e envergonhou os goianos em todo o Brasil. 

Fatos como a isenção fiscal de R$ 949 milhões para a JBS, dos irmãos Batista, nunca mais vão acontecer em Goiás, se depender do governo Caiado. A época de beneficiar os amigos do rei acabou. 

Diante do quadro caótico descrito acima é imperioso que os órgãos de controle do Estado atuem para investigar e punir os responsáveis pelo caos nas finanças do Estado. A Assembleia Legislativa deve instaurar CPIs para investigar o rombo na contas públicas e o Ministério Público deve constituir uma força tarefa em conjunto com o MPF e as Polícias Federal e Civil para responsabilizar criminalmente os responsáveis pela quebradeira do Estado, à semelhança da força tarefa Lava Jato e com o apoio do novo Ministro da Justiça, Sérgio Moro.

O ex-governador Marconi Perillo entra para história em Goiás como o primeiro governador a ser preso. Envergonhando os goianos. 

Para encerrar eu quero dizer que governador Ronaldo Caiado não veio para virar a página deste tempo de vergonha, inoperância, mentiras, incompetência e roubalheira, Caiado veio pra fechar este livro e abrir um outro, com a Ventura do trabalho árduo, pautado na honestidade e na competência e é por isto que posso afirmar com convicção que Goiás vai viver uma era nova de progresso e desenvolvimento, colocando fim as mordomias e a farra com dinheiro público.
Nós da base aliada acreditamos nessa revolução e confiamos cem por cento na equipe escolhida pelo senhor Ronaldo Caiado. 

O senhor terá a oportunidade de mostrar para Goiás e para o Brasil que  um goiano vai entrar para história fazendo um governo honesto, justo, e com isso poderá ser o primeiro goiano a assumir a presidência da República. Desejo boa sorte a você governador Ronaldo Caiado e sua equipe. 

Muito obrigado.

Assembleia em Tempo Real

19/06/2019

19:02 - Encerramento das atividades

19:00 - Mineiros e Quirinópolis recebem Comissão de Finanças nesta 2ªfeira para debate sobre LDO

19:00 - Encerrada audiência em Rio Verde que debateu a LDO 2020

18:26 - Deputado Vinícius Cirqueira realiza debate sobre instalação de novos empreendimentos na bacia do Rio Meia Ponte

18:00 - CPI da Enel encerra trabalhos do semestre com audiência em Caldas Novas, no dia 24

17:10 - Karlos Cabral abre audiência que discute LDO 2020 em Rio Verde

17:00 - Escola do Legislativo ministra "Curso Qualidade no Atendimento ao Público"

16:32 - Reunião ordinária na segunda-feira, 24, irá revisar metas do Plano Estadual de Educação

15:33 - Lido em plenário, projeto da Governadoria autoriza créditos especiais à Goiás Turismo

14:05 - Governo veta projeto que altera Política Estadual de Prevenção à Violência Obstétrica em Goiás

13:20 - Projeto de Henrique Cesar propõe valorizar trabalho dos professores da rede pública do Estado

12:08 - Lucas Calil propõe a criação de estatuto de sistema cicloviário no Estado

11:25 - Encerrada audiência pública sobre a bacia do Meia Ponte

11:11 - Inhumas passa a fazer parte da região metropolitana de Goiânia

11:06 - Encerrada sessão especial que teve presença da ministra Damares Alves na Alego

11:00 - Ministra Damares lança oficialmente campanha contra suicídio e automutilação de jovens

10:52 - Cuidar do meio ambiente é uma questão coletiva, afirma deputado Lucas Calil

10:47 - Deputado Henrique Arantes critica decreto do Governador sobre bacia do Meia Ponte

10:38 - Procurador do MP agradece por honraria recebida e a parceiros de trabalho

10:29 - Secretária de Meio Ambiente defende decreto que altera licenciamento na bacia do Rio Meia Ponte, em audiência pública

10:08 - Lançada na Alego a Campanha Acolha com Carinho

10:03 - Revogação do decreto é um retrocesso, diz pesquisadora de Minas Gerais

10:01 - Jeferson Rodrigues entrega Medalha do Mérito Legislativo a homenageados

09:57 - Jeferson Rodrigues reforça discurso em defesa da família ao abrir sessão solene

Assembleia Legislativa do Estado de Goiás - Palácio Alfredo Nasser - Alameda dos Buritis, 231.
Setor Oeste - CEP: 74115-900 - Tel: (62) 3221-3000. CNPJ: 02.474.419/0001-00.

Carregando...