Ir para o conteúdo principal

A- A+

Deputados goianos apoiam projeto anticrime do ministro Sergio Moro

O projeto anticrime criado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, tem o apoio dos deputados estaduais Delegado Humberto Teófilo (PSL) e Coronel Adailton (PP), recém-eleitos que, antes da atividade parlamentar atuavam na área de Segurança em Goiás. “O projeto deve passar por algumas alterações, mas eu o vejo com muita felicidade e otimismo. Ele acaba com a morosidade e burocracia na Justiça brasileira. Nós estamos precisando. Hoje a pessoa de bem está refém, presa em sua casa, e o bandido solto, rindo da polícia. Então nós temos que endurecer sim”, comenta Teófilo.

Coronel Adailton também diz que apoia totalmente a proposta. “Defendo principalmente o policial e a ampliação da cobertura legal de suas ações. Também entendo que a pena para quem cometer crime contra agentes de segurança deve ser aumentada ou até dobrada”, diz. 

A proposta de Moro, que o Governo Federal deve apresentar ao Congresso Nacional em breve, traz mudanças nos Códigos Penal e de Processo Penal em artigos que tratam de questões como a legítima defesa. Entre outros pontos, o projeto estabelece que juízes poderão reduzir pela metade ou mesmo deixar de aplicar a pena para agentes de segurança pública que agirem com “excesso” motivado por “medo, surpresa ou violenta emoção”.

Mas, para Teófilo, não basta tornar a repressão ao crime mais eficiente, é preciso também investir na prevenção, com programas de educação, esportes e outras ações. “Apenas prender não resolve. Só com a educação, nós vamos diminuir o índice de criminalidade”, afirma.

É por isso que o parlamentar espera que não apenas o projeto anticrime seja aprovado, mas também propostas na área de educação. “É somente assim que daqui 20, 30, 40 anos nós vamos poder estar aplicando as leis com um índice menor de criminalidade”, salienta.

Entre outros pontos do projeto, Humberto Teófilo destaca a questão do tribunal do Júri, onde caso ocorra a condenação, o réu vai para a prisão mesmo que recorra contra a sentença. “A população civil que vai assistir o júri fica abismada porque o cara é condenado a 30 anos de prisão e sai de lá pela porta da frente, tendo em vista que, caso se recorra, aquela condenação vai ter seus efeitos suspensos”, explica.  

Legítima defesa

Outra questão na proposta de Moro, que Humberto Teófilo acha salutar, é a mudança no conceito de legítima defesa. “Por exemplo eu já deparei com situações em que o bandido pega uma pessoa como refém e nós não podemos fazer nada. Na verdade, o que a gente tem de fazer é acalmar, negociar para libertar vítimas. Mas pode ocorrer de o policial ter de agir contra o criminoso”, frisa.

Ainda de acordo com a proposta do ministro da Justiça, em situações de conflito armado o policial pode reagir, mas se for caso de legitima defesa, ele não vai ser processado. Humberto Teófilo prevê que o próprio delegado vai poder tomar a decisão se o policial vai se processado ou não, permitindo assim mais celeridade na solução do caso.

Para o parlamentar, não há risco de ocorrer aumento de violência policial contra pessoas inocentes, pois, na maioria dos conflitos armados, as pessoas que morrem têm ficha criminal. “Lógico, uma vez ou outra pode sobrar para um inocente. Nem tudo é perfeito. Mas eu te garanto que 90 por cento dos conflitos armados acontecem com bandidos que já tem uma ficha criminal extensa, que já foram presos várias vezes. Eu mesmo já participei de conflitos com criminosos. E se vacilar eles matam a gente”, relata.

Mas Teófilo lembra que estes pontos polêmicos podem ser aperfeiçoados. “É claro que nós temos que tomar cuidados com alguns conceitos. Mas lá na frente estes pontos podem ser alterados. Pelo menos inicialmente, eu vejo o projeto do Moro como uma medida louvável para proteger o inocente e alvejar o bandido”, enfatiza.

Assembleia em Tempo Real

15/02/2019

18:23 - Encerramento das atividades

17:53 - Comissões técnicas serão formadas na próxima semana

15:38 - Servidor efetivo da Assembleia é eleito para Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-GO

13:20 - Lissauer visita suas bases nesta sexta-feira, 15, após abertura da primeira sessão da Legislatura

10:30 - Presidente Lissauer Vieira encerra sessão que marcou reabertura de trabalhos

10:14 - Presidente concede a palavra à bancada feminina da Alego na sessão de instalação da 19ª Legislatura

09:45 - Governador discursa na abertura da 19ª Legislatura na Assembleia

09:38 - Autoridades compõem a Mesa dos trabalhos da sessão de instalação da 19ª Legislatura

09:35 - Álvaro Guimarães discursa em nome do Parlamento Estadual

09:22 - Aberta sessão de instalação das sessões ordinárias

09:21 - Henrique Arantes acredita que 19ª legislatura será marcada por grandes debates

09:20 - Ex-deputados Lívio Luciano e José Essado são confirmados na equipe do Governo

09:18 - Álvaro Guimarães diz que seguirá com posicionamento de democrata

09:16 - Presidente do TCE, Celmar Rech traz sugestões para contribuir com trabalhos da Assembleia

09:15 - Jeferson Rodrigues manifesta otimismo com a 19ª Legislatura da Alego

09:13 - Deputado Delegado Humberto Teófilo destaca expectativa para início dos trabalhos em Plenário

09:12 - Paulo Trabalho disse que está atento aos interesse da sociedade

09:11 - Lissauer Vieira destaca diálogo com o Poder Executivo e transparências dos atos públicos

09:10 - Ronaldo Caiado ressalta parceria com Alego para concretizar projeto para o Estado

09:08 - Presidente da Assembleia recepciona governador e comitiva

09:00 - Henrique Arantes anuncia que vai propor CPI para investigar Enel

08:36 - Sessão de instalação da 19ª Legislatura terá início logo mais

07:27 - Deputados médicos defendem carreira médica de Estado

06:55 - Início das atividades

Assembleia Legislativa do Estado de Goiás - Palácio Alfredo Nasser - Alameda dos Buritis, 231
Setor Oeste - CEP: 74115-900 - Tel: (62) 3221-3000.

Carregando...