Ir para o conteúdo principal

A- A+

Deputados goianos apoiam projeto anticrime do ministro Sergio Moro

O projeto anticrime criado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, tem o apoio dos deputados estaduais Delegado Humberto Teófilo (PSL) e Coronel Adailton (PP), recém-eleitos que, antes da atividade parlamentar atuavam na área de Segurança em Goiás. “O projeto deve passar por algumas alterações, mas eu o vejo com muita felicidade e otimismo. Ele acaba com a morosidade e burocracia na Justiça brasileira. Nós estamos precisando. Hoje a pessoa de bem está refém, presa em sua casa, e o bandido solto, rindo da polícia. Então nós temos que endurecer sim”, comenta Teófilo.

Coronel Adailton também diz que apoia totalmente a proposta. “Defendo principalmente o policial e a ampliação da cobertura legal de suas ações. Também entendo que a pena para quem cometer crime contra agentes de segurança deve ser aumentada ou até dobrada”, diz. 

A proposta de Moro, que o Governo Federal deve apresentar ao Congresso Nacional em breve, traz mudanças nos Códigos Penal e de Processo Penal em artigos que tratam de questões como a legítima defesa. Entre outros pontos, o projeto estabelece que juízes poderão reduzir pela metade ou mesmo deixar de aplicar a pena para agentes de segurança pública que agirem com “excesso” motivado por “medo, surpresa ou violenta emoção”.

Mas, para Teófilo, não basta tornar a repressão ao crime mais eficiente, é preciso também investir na prevenção, com programas de educação, esportes e outras ações. “Apenas prender não resolve. Só com a educação, nós vamos diminuir o índice de criminalidade”, afirma.

É por isso que o parlamentar espera que não apenas o projeto anticrime seja aprovado, mas também propostas na área de educação. “É somente assim que daqui 20, 30, 40 anos nós vamos poder estar aplicando as leis com um índice menor de criminalidade”, salienta.

Entre outros pontos do projeto, Humberto Teófilo destaca a questão do tribunal do Júri, onde caso ocorra a condenação, o réu vai para a prisão mesmo que recorra contra a sentença. “A população civil que vai assistir o júri fica abismada porque o cara é condenado a 30 anos de prisão e sai de lá pela porta da frente, tendo em vista que, caso se recorra, aquela condenação vai ter seus efeitos suspensos”, explica.  

Legítima defesa

Outra questão na proposta de Moro, que Humberto Teófilo acha salutar, é a mudança no conceito de legítima defesa. “Por exemplo eu já deparei com situações em que o bandido pega uma pessoa como refém e nós não podemos fazer nada. Na verdade, o que a gente tem de fazer é acalmar, negociar para libertar vítimas. Mas pode ocorrer de o policial ter de agir contra o criminoso”, frisa.

Ainda de acordo com a proposta do ministro da Justiça, em situações de conflito armado o policial pode reagir, mas se for caso de legitima defesa, ele não vai ser processado. Humberto Teófilo prevê que o próprio delegado vai poder tomar a decisão se o policial vai se processado ou não, permitindo assim mais celeridade na solução do caso.

Para o parlamentar, não há risco de ocorrer aumento de violência policial contra pessoas inocentes, pois, na maioria dos conflitos armados, as pessoas que morrem têm ficha criminal. “Lógico, uma vez ou outra pode sobrar para um inocente. Nem tudo é perfeito. Mas eu te garanto que 90 por cento dos conflitos armados acontecem com bandidos que já tem uma ficha criminal extensa, que já foram presos várias vezes. Eu mesmo já participei de conflitos com criminosos. E se vacilar eles matam a gente”, relata.

Mas Teófilo lembra que estes pontos polêmicos podem ser aperfeiçoados. “É claro que nós temos que tomar cuidados com alguns conceitos. Mas lá na frente estes pontos podem ser alterados. Pelo menos inicialmente, eu vejo o projeto do Moro como uma medida louvável para proteger o inocente e alvejar o bandido”, enfatiza.

Assembleia em Tempo Real

25/04/2019

19:06 - Encerramento das atividades

18:37 - Com apoio de Adriana Accorsi, audiência pública discute assédio nas escolas

17:06 - Autoridades e lideranças discutem sobre casa própria em audiência na Alego

16:12 - Encerrada sessão ordinária desta quinta-feira

16:00 - Presidente do Sintego acompanha votação de seu nome para o Conselho Estadual de Educação

15:55 - Talles Barreto sobe a tribuna para rebater Amauri Ribeiro e criticar gestão Caiado

15:52 - Lêda Borges diz que, independentemente de crença religiosa, debates devem se pautar pela coerência e bom senso

15:45 - Alysson Lima desafia concessionárias do transporte coletivo a explicar precariedade da frota

15:38 - Rafael Gouveia critica "ideologia de gênero" no Pequeno Expediente

15:36 - Chico KGL faz balanço dos seus primeiros 70 dias de mandato

15:29 - Amauri Ribeiro usa a tribuna para criticar Governo anterior e elogiar iniciativas de parlamentares da Casa

15:25 - Deputados fazem um minuto de silêncio em homenagem a Nilton Lamas e Roldão Ernesto

15:23 - Cairo Salim questiona e faz crítica aos serviços prestados pela Enel em Goiás

15:18 - Expediente registra um veto e respostas a requerimentos

15:18 - Deputados apresentam matérias e requerimentos

15:01 - Aberta sessão ordinária desta quinta-feira, 25

14:57 - Vereador Anselmo Pereira participa de audiência sobre moradia na Assembleia

14:52 - Após deliberação de quase 50 projetos, CCJ é encerrada no Auditório Solon Amaral

14:48 - Proposição que altera legislação sobre ICMS é colocada em diligência para parecer da Secretaria de Economia

14:40 - Henrique César declara aberta audiência com movimentos de moradia

14:31 - Projeto que veda apreensão de veículos automotores com IPVA em atraso recebe pedido de vista na CCJ

14:24 - Lissauer recebe demandas do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos de Goiás e ressalta apoio à categoria

14:23 - PEC que eleva valor destinado às emendas impositivas tem vista solicitada pelo líder do Governo na CCJ

14:08 - CCJ aprova matéria que prevê plano de melhorias no transporte público antes de aumento da passagem

Assembleia Legislativa do Estado de Goiás - Palácio Alfredo Nasser - Alameda dos Buritis, 231.
Setor Oeste - CEP: 74115-900 - Tel: (62) 3221-3000. CNPJ: 02.474.419/0001-00.

Carregando...