Acesso à
Transparência

Notícias dos Gabinetes
Aprovado projeto que suspende uso de máscaras para autistas em Goiás

23 de Setembro de 2020 às 10:10
Aprovado projeto que suspende uso de máscaras para autistas em Goiás

Foi aprovado nesta terça-feira, 22, na Assembleia Legislativa de Goiás, um projeto de lei que desobriga as pessoas com Transtorno de Espectro Autista (TEA) do uso de máscaras. O projeto foi proposto pelo deputado estadual Delegado Humberto Teófilo (PSL), que, segundo a sua justificativa, o uso de máscaras tem gerado crises em pessoas que sofrem com o Transtorno do Espectro Autista, uma vez que são mais sensíveis ao contato do tecido com a pele.

O parlamentar ressalta, ainda, que o autismo afeta a comunicação, a socialização e a adaptação do indivíduo a situações consideradas comuns, o que, portanto, exige necessidades e cuidados especiais. “A questão preventiva nesses casos tem que ser o uso do álcool em gel e o distanciamento. Ir apenas aos locais, como consultórios, onde tenha sido feita a assepsia”, salienta o parlamentar.

 A utilização das máscaras se tornou rotina  na vida das pessoas, já que o mesmo é de uso obrigatório, seja para trabalhar, ir à farmácia ou ao supermercado. O uso da máscara é essencial para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. No entanto, o equipamento é bastante incômodo para muitas pessoas que tem algum grau de deficiência, como autistas, que sofrem bastante ao sentir algo tocando a pele. Pensando em aliviar as pessoas que sofrem com esse tipo de deficiência  o texto dispensa o uso de máscaras em pessoas com Transtorno do Espectro Autista e deficiências intelectuais, sensoriais ou quaisquer outras que pressuponham dificuldades para cumprir a obrigatoriedade. O projeto prevê, assim, que essas poderão andar pelas ruas sem o equipamento de proteção. A matéria segue agora para o governador Ronaldo Caiado (DEM), para sanção ou veto.

Texto: Victor Gabler

 

Gabinete Dep. Delegado Humberto Teófilo Conteúdo de responsabilidade do deputado e sua assessoria de imprensa, não representando opinião ou conteúdo institucional da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).
Compartilhar