Acesso à
Transparência

Ícone alego digital Ícone alego digital

Henrique Arantes homenageia manejadores de espécies exóticas invasoras em sessão solene, nesta 6ª feira, 24

23 de Junho de 2022 às 18:30

O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputado Henrique Arantes (MDB), prestará homenagem, nesta sexta-feira, 24, às 10 horas, a manejadores de espécies exóticas invasoras em Goiás, com a entrega do Certificado de Mérito Legislativo. A cerimônia formalizará a entrega de Certificados do Mérito Legislativo para 20 profissionais que atual em defesa da fauna e flora nativas do bioma goiano.

Atualmente, muitas espécies de plantas e animais do cerrado e outros biomas são ameaçadas pela ação de espécies de animais oriundos de outros continentes, como é o caso do javali e suas subespécies. De origem euroasiática, javalis são animais silvestres trazidos para criação e produção de carnes na Argentina e no Uruguai, ainda no século XX. Fugindo de seus criadores, esses animais adentraram o Brasil a partir das regiões fronteiriças. Com o passar do tempo, os javalis passaram a dominar amplo território nacional provocado pelo seu descontrole populacional. 

“Por onde passam, os javalis causam desequilíbrio ambiental destruindo plantas, comendo ovos ou predando filhotes de animais de origem local. E por falta de predadores naturais, que consigam equilibrar o crescimento populacional desses javalis, essa espécie acabou atingindo um patamar numérico fora de controle. Para que o equilíbrio da biodiversidade seja mantido, precisamos de caçadores legalizados, homens e mulheres que protegem o nosso bioma”, explica Henrique Arantes. 

As espécies exóticas invasoras foram introduzidas de forma natural, acidental ou intencional em um meio que não é o seu e, após um certo tempo, conseguem se adaptar ao mesmo e colonizá-lo. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), essas espécies são a segunda causa de perda de biodiversidade no mundo, pois agem como depredadores — impedindo o desenvolvimento das espécies nativas —, alteram o habitat — modificando física e quimicamente o solo —, competem pelos alimentos e pelo espaço, hibridizam com as espécies nativas e introduzem novos parasitas e doenças. 

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), os javalis são considerados pragas no Brasil.  Por essa razão, existe, inclusive, no País, o "Plano Nacional de Prevenção, Controle e Monitoramento do Javali", criado para contribuir com a redução do impacto desses animais na biodiversidade brasileira. 

Henrique Arantes é um grande defensor do Cerrado Goiano. Ele lembra que para a realização do manejo de javalis é necessário estar com o porte de armas devidamente em dia e a pessoa deve ser registrada como CAC (Colecionadores, Atiradores e Caçadores), seguindo todos os parâmetros da legislação nacional. “É fundamental que esse trabalho seja exercido por caçadores de forma responsável para que outras espécies de animais não sejam prejudicadas”, declara o deputado, que também é um caçador registrado oficialmente. 

Entre os homenageados na sessão solene já confirmaram a presença, o presidente do Clube de Caça Javali, Sérgio Mesquita, o ex-vereador de Aragoiânia, Nivaldo Soares, entre outros convidados.

 

Agência Assembleia de Notícias
Compartilhar

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse nossa política de privacidade. Se você concorda, clique em ESTOU CIENTE.