Acesso à
Transparência

Notícias dos Gabinetes
Virmondes reúne Enel e moradores da região do Parque das Laranjeiras para tratar de oscilações e interrupções no fornecimento de energia

14 de Setembro de 2021 às 17:15
Virmondes reúne Enel e moradores da região do Parque das Laranjeiras para tratar de oscilações e interrupções no fornecimento de energia

As recorrentes oscilações e interrupções no fornecimento de energia no Parque das Laranjeiras, na região Leste da Capital, foram tratadas nesta segunda-feira, 13, em encontro entre moradores do bairro e setores vizinhos, e representantes da concessionária Enel, que teve lugar na sede do grupo de escoteiros Rudyard Kipling.

A reunião foi comandada pelo presidente do Fórum Permanente dos Assuntos Relacionados ao Setor Energético e da Comissão de Minas e Energia do Parlamento de Goiás, deputado Virmondes Cruvinel (Cidadania), em parceria com o vereador por Goiânia, Marlon Teixeira (Cidadania), representante da região.

No encontro, o parlamentar ressaltou a importância de promover o diálogo na busca de soluções de problemas da comunidade. “Temos feito esse trabalho com reuniões nos bairros e municípios do interior. A parceria é fundamental, principalmente nesse momento de pandemia”, realçou.

Cruvinel prosseguiu ao assinalar que diante dos pedidos dos moradores em relação aos problemas de energia, promoveu o encontro comunitário, por entender ser essa a melhor forma de fazer com que a pauta avance.

Da mesma forma, o vereador salientou ser uma oportunidade de que a população seja ouvida. “Uma equipe técnica da Enel se disponibilizou para escutar as dificuldades dos moradores”, pontuou.

Na oportunidade, os moradores puderam se dirigir aos representantes da empresa para apresentarem suas reclamações quanto aos problemas de energia, a exemplo de Sofia Bernardino Fernandes, moradora da 4ª etapa, há cerca de 14 anos, que expôs seu descontentamento com a falta de energia e pelo fato de não obter respostas mais assertivas da Enel no que trata ao tempo necessário para que o fornecimento seja restabelecido. Apesar de reunir diversos protocolos de atendimento junto à empresa, Sofia reclamou que falta planejamento. “Nunca sabemos quando a energia vai voltar, e já cheguei a ficar 14 horas sem luz”, conta.

O mesmo tipo de reclamação foi feito pelos moradores Juliano Ferreira Alves, que reside no local há 13 anos; Ronaldo Bernardino, que mora no bairro há mais de 42 anos; Edvaldo Augusto, residente no setor há 17 anos; Aparecida Galli e o recém chegado à comunidade Alexandre Rocha. Em comum, a maioria deles teme pelos prejuízos que a falta de energia pode trazer, como a dificuldade para a realização de teletrabalho, aulas on-line dos filhos, ou ainda, a perda de alimentos pela falta de refrigeração adequada. “Estamos aqui para cobrar soluções para este ano e o próximo”, desabafou Ronaldo.

Esclarecimentos técnicos

A equipe técnica da Enel, formada pelo representante da diretoria Institucional da Enel, Marco Henrique Pavan; Roberto Silva Vieira, da área de Planejamento e Gestão; Thiago Dorneles, do setor de Clientes de Governo; Wesley Rafael Gomes Barbosa, responsável por Serviço Regional Goiânia; e Hugo Leandro, responsável pelo Atendimento ao Cliente, esclareceu aos presentes quanto às ações em andamento e planejadas para sanar as demandas.

As observações trataram desde soluções como a implantação de uma nova subestação para atender às necessidades da região, a substituição de transformadores, a poda de árvores, a importância de que diante da falta de energia, cada morador afetado faça sua reclamação, pois isso ajuda a mensurar os problemas. E ainda foram abordados os canais de atendimento oferecidos e a implantação de melhorias voltadas a dar maior agilidade na resposta da solução para a interrupção do fornecimento de energia. Na ocasião, ainda foram prestados esclarecimentos sobre os reajustes de tarifas. 

Em sua participação, Pavan ressaltou a importância do diálogo como instrumento voltado aos avanços necessários para melhorar a entrega do serviço da companhia. “Temos mantido a proximidade em busca de respostas. Já conseguimos avanços, mas há muito que fazer. A Enel tem desafios a encarar”, reconhece.

Entretanto, ele afirma que os problemas são históricos, em função da falta de investimentos durante décadas no melhoramento e manutenção da rede elétrica da região.

Ao tratar das tarifas, Pavan explicou que a definição dos valores é feita a partir da Aneel. Também abordou a tarifação por bandeiras, que se deve ao uso de energia de origem termoelétrica, durante os períodos de estiagem e em decorrência de a principal matriz energética ainda ser a partir de hidrelétricas. “As bandeiras têm relação com o baixo nível de água dos reservatórios”, explicou.

O especialista realçou, ainda, a importância da conscientização em relação ao uso de energia.

Por sua vez, Vieira discorreu de forma esclarecedora e detalhada, o trabalho técnico que tem sido realizado pela concessionária para melhorar a qualidade do serviço oferecido e solucionar os problemas pontuados durante o encontro.

Ao tratar da interrupção ressaltou as ações planejadas pela Enel e explicou que, em parte, os problemas são em decorrência de a região ter sido construída de forma que ficou no final dos circuitos. Além de assinalar diversos detalhes técnicos e a necessidade de ações diferentes. “Dentre as soluções, está a construção de uma nova subestação, que irá melhorar a qualidade do serviço”, disse ao ressaltar que a previsão é de que a mesma entre em atividade em um prazo entre 8 e 10 meses, após a aquisição de um terreno que está em fase de tratativas para consolidação.

Além disso, Vieira pontuou que, mesmo com a capacidade de investimentos da companhia, é necessário obedecer às etapas de planejamento estabelecidas.

Outro ponto abordado por Roberto é que foi realizado um levantamento no qual foram identificados 14 pontos em que a rede precisa ser modernizada. “Quatro deles já constam do planejamento de execução ainda para esse ano”, afirmou.

Já Wesley tratou da importância de que os clientes recebam tratamento diferenciado, a fim de terem suas solicitações atendidas. “Olhamos o consumidor individual como um todo”, reiterou.

Em sua participação, Hugo tratou das ferramentas em implementação para melhorarem a experiência dos consumidores, e, ainda, da importância de que cada cliente que tenha falta de energia, entre em contato com a Enel por meio dos 11 canais disponibilizados pela empresa. E explicou ser importante uma maior abertura de ordem de serviço de emergência por parte dos consumidores. “Estamos trabalhando para aumentar a assertividade, hoje em 60%”, pontuou.

Gabinete Dep. Virmondes Cruvinel Conteúdo de responsabilidade do deputado e sua assessoria de imprensa, não representando opinião ou conteúdo institucional da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).
Compartilhar