Acesso à
Transparência

“O que a Enel está fazendo nesse Estado é caso de polícia, caso de cadeia”, diz Amauri Ribeiro na CPI da Enel

09 de Maio de 2019 às 18:47
Deputado defendeu os interesses da população e relatou casos de desrespeito da Enel com o consumidor

O deputado Amauri Ribeiro (PRP) participou da CPI da Enel nesta quinta-feira (09), quando o presidente da empresa, Abel Rochinha, prestou esclarecimentos aos parlamentares. Rochinha destacou investimentos realizados e melhorias alcançadas após a privatização da antiga Celg, o que foi rebatido por Amauri.

“A Enel está em Goiás desde 2017, mas há 12 anos ela é a pior empresa de prestação de serviço de energia desse país. Assim como na propaganda do governo passado, todo mundo queria viver dentro da propaganda da Enel também”, afirmou o deputado.

O parlamentar divulgou que a Enel está trocando relógios sem a presença dos consumidores, o que é proibido de acordo com a Resolução 414. “Vocês estão agindo de forma ilegal ao fazer isso com o consumidor goiano. É um desrespeito e isso tem que ser punido nos rigores da lei. A lei é para todos”, informou.

Amauri relatou uma experiência ruim que teve com a empresa no final de 2018. “Fiquei três dias sem energia com a minha casa cheia de familiares e para poder ligar a energia eu contei com o favor de um amigo eletricista porque a Enel não foi ligar. Isso acontece com milhares de produtores rurais desse país”.

O deputado pediu providências para que a população goiana seja tratada com mais respeito. “Quando vocês deixam um produtor rural sem energia, vocês deveriam ser multados porque afinal são milhões de pessoas prejudicadas pelo desserviço”.

O parlamentar deixou claro que o único interesse da Enel em Goiás é o lucro. “Vocês não estão preocupados em servir bem e sim em obter lucro. Por isso a redução absurda de pessoas que prestam serviço. O teleatendimento de vocês também é uma vergonha, se brincar, pior que o das telefônicas”.

Amauri mencionou dois casos de consumidores que fizeram alterações em suas empresas para economizar e foram surpreendidos com o aumento da conta de energia. “Estava em meu gabinete o senhor Cristiano, proprietário de uma loja que fez um vídeo e trocou 40 lâmpadas de 40 por 40 de 9 e a conta dele subiu. Eu recebi do Rafael, de Morrinhos, que ele tinha 40 refrigeradores no seu supermercado e trocou por 10, aparelhos maiores, mas com os controles com a mesma proporção, aí a conta abaixou e a Enel foi lá e trocou o relógio dele e colocou um relógio que ele não consegue fazer leitura e a conta dele está subindo gradativamente. O que a Enel está fazendo nesse Estado é caso de polícia, caso de cadeia”.

O deputado finalizou ao esclarecer que vai continuar defendendo os interesses da população. “Nós (deputados) fomos eleitos para defender o povo e estamos preocupados com a população que vem sendo prejudicada, principalmente o setor produtivo, setor agropecuário. Para multar, cortar a energia de quem não paga, vocês são bons. Para cobrar a religação, a Enel é boa, mas para prestar um serviço de qualidade, vocês não estão fazendo isso. Vocês têm um contrato com esse Estado de direitos e obrigações que não vem sendo cumpridos e nós vamos cobrar isso aqui nessa CPI”.

Compartilhar