Acesso à
Transparência

Coronel Adailton é contra o retrocesso do programa Passe Livre Estudantil

13 de Maio de 2019 às 11:47

Na condição de vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esportes, o deputado Coronel Adailton (PP) participou da audiência pública, presidida pelo deputado Talles Barreto (PSDB), na manhã da última sexta-feira, 10, que discutiu as mudanças que o Governo de Goiás pretende fazer no programa Passe Livre Estudantil. Com a presença de representantes de diversas entidades estudantis e da juventude, o debate girou em torno da exclusão de milhares de usuários do programa, que necessitam do benefício para dar continuidade aos seus estudos. O deputado Coronel Adailton se posicionou contra o projeto, enviado pelo governador Ronaldo Caiado à Assembleia Legislativa de Goiás.

Pelo projeto, o Governo estadual pretende mudar o nome do programa Passe Livre Estudantil (PLE) para Passe do Jovem Estudante (PJE), por questão puramente política, visto que não são apenas os jovens que têm direito à educação, mas também adultos e até idosos que voltam à sala de aula, para adquirirem ou aperfeiçoarem seus conhecimentos. Outra maldade, segundo o deputado, do governador Ronaldo Caiado, é exigir, com o recadastramento, que a família do estudante esteja no Cadastro Único (CadÚnico), visto que nem todas as famílias carentes estão, necessariamente, cadastradas em algum programa social, o que irá excluir milhares de estudantes que precisam do benefício.

O deputado Coronel Adailton frisou: “Os governos não têm outro caminho a não ser melhorar a Educação, e fazer cortes no Passe Livre Estudantil é andar para trás, que nem caranguejo”. Apoiando a mobilização massiva dos estudantes para defenderem os seus direitos, o deputado disse: “Vocês têm, sim, que mostrar força, porque isso vai influenciar decisivamente na votação do projeto no Plenário”.

Outra proposta demagógica do Governo estadual, na opinião do deputado, é a de estender o novo programa a mais 243 municípios goianos, porque nem todas as cidades têm transporte coletivo, seja pela extensão do aglomerado urbano ou pelo número de habitantes.

Com as mutilações pretendidas pelo Governo Caiado no Passe Livre Estudantil, apenas terão o cadastro aprovado os estudantes oriundos da rede pública de ensino, das escolas comunitárias, confessionais ou filantrópicas. Os estudantes da rede particular serão obrigados a comprovar que possuem bolsa integral para serem admitidos no Passe do Jovem Estudante.

O deputado também é contrário ao pensamento do Governo de que os estudantes universitários já contam com a legislação nacional, que assegura o direito à meia passagem, sob a alegação de que o Governo estadual só tem responsabilidade com o estudante da rede pública estadual de ensino. Esse projeto pode inviabilizar a conclusão do curso superior de milhares de pessoas, o que é um atraso para Goiás.

Compartilhar