Acesso à
Transparência

Perfil parlamentar

01 de Fevereiro de 2019 às 19:00
Crédito: Marcos Kennedy
Perfil parlamentar
Plenário
A Agência de Notícias da Alego preparou material como o perfil dos deputados eleitos em outubro de 2018, e que tomaram posse nesta sexta-feira, 1° de fevereiro. A 19ª Legislatura está composta por 19 deputados novatos e 22 foram reeleitos.

A 19ª Legislatura tem início nesta sexta-feira, 1° de fevereiro,  quando tomam posse os novos deputados eleitos em outubro de 2018. Confira o perfil de cada deputado: 

Alysson Lima (PRB): 30.868 votos

O radialista e apresentador de televisão nasceu no Paraná, mas mudou-se para a capital de Goiás a convite de uma emissora de rádio. No estado, ganhou destaque, entrando para a política em 2016, ao assumir cadeira na Câmara Municipal de Goiânia. Seu mandato foi interrompido para que ele pudesse pleitear vaga no Legislativo estadual.

Amauri Ribeiro (PRP): 24.922 votos

Apesar de nascido em Trindade, mudou-se para Piracanjuba aos 10 anos de idade, onde iniciou sua carreira política. Amauri Ribeiro trabalhou na roça até o início da idade adulta e, ao tornar-se candidato, foi eleito vereador em 2008, e prefeito municipal em 2012, antes de eleger-se deputado estadual, no pleito de 2018.

Amilton Filho (SD): 16.486 votos

O advogado e servidor público de Anápolis, Amilton Filho vem de movimentos estudantis. As lutas o renderam, por duas vezes, cadeiras na Câmara Municipal de sua cidade natal, inclusive como presidente da Mesa Diretora. No Legislativo estadual ele promete renovação, transparência e uma atuação independente.

Antônio Gomide (PT): 36.998 votos

O ex-prefeito de Anápolis bateu recordes nacionais ao ser reeleito para o cargo, em primeiro turno, com quase 90% dos votos. O fato ocorreu na disputa eleitoral de 2012. Antônio Gomide também foi, por quatro vezes, vereador no município.

Cairo Salim (PROS): 18.579 votos

Cairo Salim foi eleito deputado estadual pela primeira vez, ao disputar, pela segunda vez, cadeira na Casa de Leis. Ele começou a trajetória política aos 16 anos de idade, filiando-se ao MDB, e atuando em diversas esferas, como na Associação de Jovem Empresários e Empreendedores (Acieg-Jovem). Como suplente, assumiu vaga na Câmara Municipal de Goiânia, em 2016, e no pleito de 2018, conquistou votos suficientes para legislar pelo estado.

Chico KGL (DEM): 37.048 votos

Comerciante, é dono de supermercado em Rio Verde. Nascido no Rio Grande do Norte, já viveu no estado de São Paulo, antes de mudar-se para Goiás. Derrotado em 2014, ao pleitear vaga na Assembleia Legislativa de Goiás, ele persistiu e, com o apoio do prefeito da cidade e do governador Ronaldo Caiado, obteve êxito desta vez.

Coronel Adailton (PP): 11.616 votos.

Policial Militar há mais de 30 anos, Coronel Adailton estreia na política com este mandato na Assembleia Legislativa de Goiás. Na Casa, ele se posicionará como um político independente, não compondo base, nem oposição, e promete lutar pela Segurança Pública. Anteriormente, já atuou como Secretário de Estado Chefe da Casa Militar e Superintendente Executivo da Secretaria de Estado de Governo (Segov), na gestão do ex-governador Marconi Perillo.

Delegado Humberto Teófilo (PSL): 26.252 votos

Delegado da Polícia Civil do Estado de Goiás, ganhou notoriedade ao atuar em importantes casos policiais, que ganharam notoriedade na imprensa. Ele assume cadeira na 19ª Legislatura ao candidatar-se, pela primeira vez, a um cargo eletivo.

Delegado Eduardo Prado (PV): 20.845 votos  

Filho do ex-vereador goianiense Valdir do Prado, Eduardo Prado é delegado da Polícia Civil do Estado de Goiás. Após passar por diversos municípios, ganhou notoriedade ao bater recordes de apreensão de drogas no Brasil, e a assumir investigação que levou à prisão de um assassino em série, em Goiânia. Em 2016 foi convidado, pelo Movimento Brasil sem Corrupção, a candidatar-se, com êxito, a vereador de Goiânia. Em 2018 ele deixou o mandato para concorrer a uma vaga no Legislativo estadual.

Júlio Pina (PRTB): 13.148 votos

O maranhense é filiado a seu partido há mais de 10 anos, atualmente atuando como vice-presidente estadual da sigla. Ganhou notoriedade em Senador Canedo ao trabalhar como conselheiro tutelar e, mais tarde, como secretário municipal de Saúde.

Paulo Trabalho (PSL): 16.957 votos

Catarinense, o produtor rural Paulo Trabalho tem base no Nordeste de Goiás. Em 2018, viabilizou candidatura como deputado estadual, primeiro cargo eletivo ao qual concorreu. Na Assembleia Legislativa de Goiás, ele promete defender projetos na saúde e na educação.

Rafael Gouveia (DC): 23.466 votos

O jovem pastor evangélico, líder de jovens da Assembleia de Deus, Ministério da Vila Nova, foi diretor de Fomento ao Empreendedorismo no município de Aparecida de Goiânia; trabalhou como assessor do Procon de Goiânia e realizou assessoria parlamentar. Na Assembleia Legislativa ele promete lutar por um estado menos burocrático e pelo desenvolvimento econômico de Goiás.

Rubens Marques (PROS): 27.763 votos

Nascido em Anicuns, Rubens Marques é servidor de carreira da Saneago tendo, inclusive, dirigido a empresa. No Parlamento, ele promete lutar pela área de saneamento e também pela preservação do meio ambiente e dos recursos hídricos, principalmente.  

Thiago Albernaz (SD): 14.561 votos

O jovem economista Thiago Albernaz é neto do ex-prefeito de Goiânia, Nion Albernaz. Sua trajetória política começou com participações em movimentos estudantis e partidários. Sua primeira eleição foi vencida aos 22 anos de idade, quando entrou para a Câmara Municipal de Goiânia. Em 2016, saiu como vice-prefeito, mas não logrou êxito. Deputado estadual agora, ele promete renovação na Casa de Leis.

Tião Caroço (PSDB): 31.407 votos

Tião Caroço já é conhecido da Assembleia Legislativa de Goiás, já que, anteriormente, foi eleito por duas vezes deputado estadual (1994 e 1998). No ano de 2000, assumiu a prefeitura de Formosa, sendo reeleito em 2004. Antes de terminar o mandato, assumiu cargo de conselheiro no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), onde permaneceu até sair candidato.

Vinicius Cirqueira (PROS): 17.698 votos

Incentivado por sua tia, ele iniciou sua trajetória política concorrendo a uma vaga ao Conselho Tutelar da Região Norte de Goiânia. Lá, combateu a pedofilia e a evasão escolar, dando apoio aos jovens e seus familiares. Em 2016 logrou êxito em candidatura à Câmara Municipal, deixando o cargo para concorrer às eleições estaduais.

Wagner Neto (Patriotas): 14.256 votos

Deputado mais novo da 19ª Legislatura, Wagner Neto nasceu em Itapuranga, em 1991. Antes, ele havia sido o vice-prefeito mais jovem de Goiás, ao compor chapa vencedora em sua cidade natal, em 2016. Ele herdou a vocação política de seu pai, Júnior Camargo, prefeito de Itapuranga por dois mandatos, iniciando cedo sua trajetória política, em movimentos estudantis.

Wilde Cambão (PSD): 29.853 votos

O parlamentar, que assume pela primeira vez um cargo eletivo, já foi secretário de Desenvolvimento Urbano de Luziânia, cidade onde nasceu. Na Casa de Leis, promete fortalecer as articulações para o Entorno do Distrito Federal.

Zé Carapô (DC): 19.583 votos

Natural de Jataí, Zé Carapô foi eleito vereador em 2016. Ele ganhou destaque um ano antes, ao começar a expressar seus ideais políticos, conservadores nos costumes e liberais na economia. Seu primeiro mandato foi interrompido para que pudesse candidatar-se, com êxito, ao Parlamento estadual.

 

VETERANOS

Álvaro Guimarães (DEM): 23.788 votos

Entre eleições e suplências, o decano inicia seu 7º mandato como deputado estadual. Antes, já havia atuado como vereador em sua cidade natal, Itumbiara. Além de legislador, ele assumiu também cargos do Executivo durante sua trajetória política. Democrata, Álvaro Guimarães compõe base do governador Ronaldo Caiado, com forte eleitorado no Sul do estado. Bacharel em Direito, além de parlamentar, ele é agropecuarista e empresário.

Bruno Peixoto (MDB): 34.655 votos

Antes mesmo do início da nova Legislatura, o emedebista, aliado do governador Ronaldo Caiado (DEM)) já foi apontado como líder do Governo na Casa de Leis. Advogado e economista, o parlamentar inicia seu terceiro mandato como deputado estadual. Antes, assim como o pai, o ex-vereador goianiense Sebastião Peixoto, Bruno atuou como vereador na Capital. Entre suas proposituras que viraram lei, destaque para texto que proíbe que cidadãos fumem em locais públicos fechados.

Charles Bento (PRTB): 18.626 votos

Rumo ao segundo mandato no Legislativo estadual, Charles Bento foi, também, eleito duas vezes para compor a Câmara Municipal de Goiânia. Além de deputado, é empresário do ramo de formação de novos condutores.

Cláudio Meirelles (PTC): 36.502 votos

De família política (filho do ex-deputado Olinto Meirelles e sobrinho do ex-deputado Jesus Meirelles), Cláudio Meirelles iniciou sua trajetória na vida pública como vereador de Goiânia. Com quatro mandatos na Câmara Municipal, foi inclusive presidente da Casa. Na Assembleia Legislativa, o advogado parte agora para o quarto mandato como deputado estadual.  

Delegada Adriana Accorsi (PT): 39.283 votos

Filha do ex-prefeito de Goiânia Darci Accorsi, a petista Adriana Accorsi cresceu assistindo a militância política do pai. Delegada da Polícia Civil do Estado de Goiás há 18 anos, e sempre ligada a movimentos sociais, ela candidatou-se, pela primeira vez, em 2014, a uma cadeira no Legislativo estadual. Na ocasião, foi a mulher mais bem votada. Na Assembleia Legislativa, a parlamentar, que inicia seu segundo mandato, luta pelos direitos das mulheres, dos servidores públicos e pela diminuição da violência urbana e doméstica.  

Diego Sorgatto (PSDB): 41.362 votos

O jovem Diego Sorgatto é forte articulador do Entorno do Distrito Federal. Sua carreia política teve início em sua cidade natal, Luziânia, onde foi eleito vereador, com apenas 18 anos de idade. Em seu primeiro mandato, já assumiu a presidência da Câmara Municipal. Em 2014 foi eleito deputado estadual pela primeira vez. Reeleito em 2018, ele teve a terceira maior votação da 19ª Legislatura.  

Dr. Antonio (DEM): 36.683 votos

Médico ginecologista e obstetra nascido em Mossâmedes, Dr. Antonio continua a exercer a medicina em trabalhos voluntários, apesar dos compromissos políticos. Bastante ligado à saúde, exerceu diversas funções públicas na área, atuando, por exemplo, na Secretaria de Saúde do município de Trindade. Na cidade, foi eleito vereador em 2008. Como deputado estadual ele inicia seu segundo mandato.

Gustavo Sebba (PSDB): 29.286 votos

Filho do ex-deputado estadual e atual prefeito de Catalão Jardel Sebba, Gustavo Sebba inicia seu segundo mandato na Assembleia Legislativa de Goiás. Seu primeiro mandato começou em 2014, primeira vez em que concorreu a uma eleição. Antes, atuava como médico em cidades do interior do estado.

Helio de Sousa (PSDB): 38.788 votos

Ex-presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Helio de Sousa adentra seu sexto mandato como deputado estadual. Natural de Buriti Alegre, além de ter atuado como médico, sua formação acadêmica, ele já foi professor, presidente de sindicato, secretário estadual de Saúde e prefeito de Goianésia. No Parlamento, destaque para sua coautoria do Estatuto do Portador de Câncer.

Henrique Arantes (PTB): 20.556 votos

O deputado municipalista Henrique Arantes começa agora seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa de Goiás. Antes, já havia sido eleito vereador de Goiânia, em 2008. O parlamentar segue os passos do pai, o deputado federal Jovair Arantes. Ao licenciar-se das atividades parlamentares, ele exerceu outras funções entre os anos de 2011 e 2013, entre elas, de secretário de Estado de Cidadania e Trabalho, administrando importantes programas do Executivo, como o Renda Cidadã.

Henrique César (PSC): 46.545 votos

O anapolino foi o deputado estadual mais votado da 19ª Legislatura. Apesar de eleito pela primeira vez no pleito de 2018, como suplente Henrique César atuou no Legislativo estadual entre abril de 2017 e janeiro de 2018. Ligado à Igreja Assembleia de Deus, o parlamentar iniciou a vida política há 15 anos, trabalhando nos bastidores do Senado Federal, em Brasília.

Humberto Aidar (MDB): 31.873 votos

O radialista Humberto Aidar, de Inhumas, atua no Legislativo estadual desde 1993, entre idas e vindas. Na 19ª Legislatura ele inicia o sexto mandato como deputado. O parlamentar também já foi vereador de Goiânia e secretário municipal. Veterano na Casa, ele celebra o aumento da transparência da Casa de Leis.

Iso Moreira (DEM): 24.963 votos

O agropecuarista e empresário Iso Moreira nasceu em Mambaí. Sua carreira política teve início em 1992, quando foi eleito prefeito de Simolândia, no Nordeste goiano. Em 1998 candidatou-se pela primeira vez a deputado estadual, assumindo cadeira em 2001, como suplente. Em 2019 ele inicia seu 6º mandato parlamentar, contando a suplência.

Jeferson Rodrigues (PRB): 45.605 votos

Segundo deputado estadual mais bem votado no último pleito, o goianiense Jeferson Rodrigues é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus há mais de 20 anos. Já foi secretário extraordinário para Assuntos Religiosos e assessor especial na gestão do ex-governador Marconi Perillo. Apesar de eleito deputado em 2014, só foi diplomado em 2016, após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Havia divergências de entendimento sobre o coeficiente eleitoral.  

Karlos Cabral (PDT): 15.941 votos

Servidor público do Judiciário, Karlos Cabral começa seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa de Goiás. Em sua maioria, seu eleitorado é composto de cidadãos do Sudoeste goiano, já que é natural de Rio Verde, e de funcionários públicos.

Lêda Borges (PSDB): 35.040 votos

A mineira Lêda Borges construiu sua carreira política no estado de Goiás, mais especificamente no Entorno do Distrito Federal. Servidora pública, ela já foi secretária municipal e prefeita em Valparaíso, e também assumiu cargos no Executivo estadual, como na Secretaria de Estado da Mulher, Desenvolvimento Social, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos e do Trabalho. Na Assembleia Legislativa de Goiás a parlamentar assume o segundo mandato.

Lissauer Vieira (PSB): 37.550 votos

Também representante do Sudoeste goiano, Lissauer Vieira defende a bandeira do agronegócio. Sua trajetória política teve início nos bastidores, na coordenação de campanhas políticas. Em Rio Verde foi secretário de Comunicação, cargo que ocupou até ser eleito deputado estadual pela primeira vez, em 2014.

Lucas Calil (PSD): 23.994 votos

Militante político desde a adolescência, o goianiense Lucas Calil assume seu segundo mandato no Parlamento goiano. Filiou-se a um partido, pela primeira vez, aos 16 anos, logo que tirou seu título de eleitor. De lá para cá atuou como assessor político, até assumir cadeira na 18ª Legislatura.  

Major Araújo (PRP): 38.278 votos

O policial militar da reserva tem cadeira na Assembleia Legislativa de Goiás desde 2010, quando foi eleito deputado estadual pela primeira vez. Antes, ele atuou como vereador de Goiânia por três meses, já que era o primeiro suplente de seu antigo partido, PRB. Nas Legislaturas passadas, Major Araújo posicionava-se como ferrenho opositor da administração tucana, dos ex-governadores Marconi Perillo e José Eliton.

Paulo Cezar Martins (MDB): 40.970 votos

Nascido em Quirinópolis, veio estudar em Goiânia, onde militou em movimentos estudantis e populares. No início da carreira, ocupou cargos na Administração Pública até ser eleito, por três vezes, vereador da Capital. Suplente, tornou-se deputado em 2004, e desde então vêm sendo reeleito, com expressivas votações.

Talles Barreto (PSDB): 36.456 votos

O parlamentar começa seu terceiro mandato, com duas eleições e uma suplência, prometendo fazer forte oposição ao governador Ronaldo Caiado. Antes de ser eleito pela primeira vez, foi presidente de partido, servidor público, advogado, procurador jurídico, administrador do Estádio Serra Dourada e presidente da Agência Goiana de Esporte e Lazer (Agel).

Virmondes Cruvinel (PPS): 30.576 votos

Filho dos políticos Rose Cruvinel e Virmondes Cruvinel, Virmondes Cruvinel Filho parte para o segundo mandato como deputado estadual. Antes, já havia atuado como vereador de Goiânia por três vezes, e como procurador do Estado, cargo do qual está licenciado. Militante desde a juventude, já foi presidente de centro acadêmico, de Organização não Governamental (ONG) e do PSD, por exemplo, partido ao qual foi filiado até 2016.  

Compartilhar