Acesso à
Transparência

Escola do Legislativo promoveu, na manhã desta 4ª-feira, palestra sobre comunicação assertiva no mundo digital

24 de Novembro de 2021 às 13:00
Crédito: Carlos Costa (Captura de Tela)
Escola do Legislativo promoveu, na manhã desta 4ª-feira, palestra sobre comunicação assertiva no mundo digital
Escola do Legislativo ministra palestra sobre "Como falar com intencionalidade, clareza e assertividade no mundo digital"

A Escola do Legislativo promoveu na manhã desta quarta-feira, 24, uma palestra on-line com a temática “Como falar com intencionalidade, clareza e assertividade no mundo digital”. A conferência foi ministrada pela servidora da Alego Tatiane Xavier, que é palestrante internacional, mentora de palestrantes, fonoaudióloga e especializanda em comunicação. 

A mediação ficou a cargo da chefe da seção Pedagógica da Escola do Legislativo, Milena Alves Costa, servidora efetiva da Alego. A profissional é analista na categoria funcional de pesquisador legislativo, mestre em Administração pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e especializanda em Gestão, Governança e Setor Público na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

Contato presencial

Em sua esplanação, Tatiane Xavier explicou que o ambiente digital traz um nível de clareza e empatia muito menor do que se tem em contatos presenciais. “Quando tem uma palestra presencial, nós temos aquele contato humano, aquela conversa paralela antes da apresentação. Atualmente, nós escolhemos o que vamos compartilhar e limitamos nossos gestos e expressões. A responsabilidade é toda do comunicador na hora de transmitir a mensagem. Não é o que eu falo, é como eu falo.”

A palestrante ressaltou, ainda, que ser um bom comunicador não significa apenas ter a habilidade de um grande orador, é necessário ter assertividade na hora de expor as ideias. Ficar atento à linguagem corporal é extremamente importante, pois a comunicação também é formada pelo uso do corpo. “Transmitimos mensagens e sinais o tempo todo durante uma conversa, nossos olhos e gestos também comunicam. Agir com naturalidade gera empatia no outro e quebra ruídos.”

Tatiane ressaltou os três principais pilares de uma boa comunicação: reconhecimento do receptor, escuta ativa e boa dicção e o uso correto do português. “Para se comunicar, você precisa saber o que comunicar, como e o que você vai comunicar. Quem é esse receptor? São familiares, amigos, colegas de trabalho, gestores? Saber quem vai escutar a mensagem é importante para gerenciar a comunicação no geral. Uma vez que sei a quem vou falar, eu sei que tom de voz usar, quais palavras dizer, como fazer a abordagem, dentre outros.”

Espelhamento 

A comunicadora explicou que a técnica do espelhamento é muito usada para proporcionar empatia e facilitar a comunicação. Essa técnica consiste em agir como um reflexo, ou seja, espelhar os movimentos corporais e elementos de linguagem do seu interlocutor. Replicar postura, expressões faciais e linguagem corporal, gestos, tom de voz e a maneira que seu lead, inicialmente, conduz a conversa. “É necessário prestar muita atenção nessa técnica, para não parecer robótico ou que você está imitando a pessoa, ou de certa forma criticando. Mas quando eu faço isso, eu gero conexão com o interlocutor.”

O segundo pilar, que é “a escuta ativa”, nada mais é que ouvir a essência. “Hoje em dia as pessoas estão cada vez mais impacientes e menos dispostas a ouvir. Muitos sentem a necessidade de interromper a pessoa antes que ela conclua o raciocínio ou sentem a necessidade de julgar. Eu não preciso concordar com tudo que foi dito, eu só preciso ouvi-la na essência, procurar entender o que ela está falando e, claro, ter meu posicionamento e, aí, posso partilhar”, disse. 

Tatiane ressaltou que o terceiro pilar, que é boa dicção e o português empregado corretamente, é extremamente importante e que o comunicador deve investir na própria dicção. “Existem vários exercícios que são ótimos, você pode ler poesias, ler em voz alta, soletrar silabado, falar com mais calma, treinar.”

Contato visual

A palestrante destacou que muitos não gostam de reuniões online por conta da parte visual ser limitada. “Durante a reunião, nós podemos olhar no olho da câmera. Quando olhamos para a tela, passa uma imagem de falta de atenção. Olhando diretamente para a câmera, é passado para o receptor um ar de empatia, proximidade e conexão."

Outro ponto importante é a etiqueta digital da oratória no  ambiente de trabalho. “Algumas perguntas que devemos fazer são qual emoção você quer transmitir ao falar? Ela está alinhada com seu objetivo? É necessário ser expressivo, claro e assertivo na escolha das palavras, principalmente ao cumprimentar. A cordialidade é imprescindível sempre. A postura corporal é outro ponto importante, o ideal é deixar a coluna ereta e levemente inclinada para frente”, afirmou.

Agência Assembleia de Notícias
Compartilhar