Ir para o conteúdo principal

Livro Plano Estadual de Educação

A- A+

Plano Estadual de Educação

O Plano Estadual de Educação recebe publicação atualizada da Assembleia Legislativa e já está disponibilizado ao público. O deputado Karlos Cabral (PDT), presidente da Comissão de Educação, considera importante dar visibilidade ao Plano.

Em 22 de julho de 2015, o então governador do Estado de Goiás, Marconi Perillo (PSDB),  sancionava a Lei nº. 18.969. Por meio dela se institui, assim, o Plano Estadual de Educação de Goiás (PEE). Com vigência prevista para os 10 anos seguintes, a contar da sua data de promulgação (2015-2025), o documento traça ao todo 21 metas para assegurar e manter o desenvolvimento do ensino público goiano, em seus diversos níveis, etapas e modalidades.

A fim de contribuir para a divulgação da legislação e cumprir, então, competências estipuladas no documento, a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) lançou, em maio deste ano, uma publicação atualizada sobre o tema. A obra encontra-se disponibilizada ao público nos formatos impresso e virtual. A primeira versão, uma tiragem de 2 mil cópias, deve ser integral e estrategicamente entreguenos próximos dias, em unidades educacionais integrantes da Rede Estadual de Ensino. A segunda, pode ser acessada, em PDF, na página inicial do portal da Alego na internet.     

A responsabilidade por essa produção e por sua consequente distribuição ficou a cargo da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CECE) da Alego. Em texto de apresentação inserido no início da publicação, o presidente do colegiado, deputado Karlos Cabral (PDT),  fala sobre a importância de se dar visibilidade ao PEE, visto que este traz informações determinantes para se compreender a dimensão das políticas e decisões adotadas para o desenvolvimento do ensino público em Goiás.

Dentre elas, o parlamentar destaca a divulgação de estudos atualizados sobre o tema e também assuntos referentes aos investimentos a serem repassados para o setor, os quais são para ele, imprescindíveis não apenas para se assegurar a qualidade educacional, mas também para se garantir o crescimento do próprio estado como um todo. “A publicação do PEE busca disseminar o instrumento legal que orienta os rumos da educação goiana e subsidiar debates, estudos, pesquisas a respeito da temática, nos órgãos estatais e em toda a comunidade escolar”, finalizou.

Avaliação

A publicação da Alego foi efetivada, portanto, no ano em que o PEE completa seu quarto aniversário. Segundo determinações expressas no próprio documento, esta data coincide justamente com o período em que se realiza a primeira avaliação das estratégias previstas para o alcance das metas projetadas para 2025. Com base nisso, a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) deverá editar, então, “normas necessárias à correção de rumos e superação de deficiências e distorções”, o que deve ser divulgado até o próximo mês.

Pelma Maciel de Carvalho, assessora do deputado Karlos Cabral na CECE, salienta que um dos pontos passíveis de serem novamente discutidos e reavaliados no momento diz respeito às escolas em tempo integral, que, para ela, encontra-se abaixo das metas. Porém, ela afirma que, para se ampliar essa modalidade de ensino, é preciso garantir os devidos investimentos, que ficaram, no entanto, limitados em decorrência da sanção da Emenda Constitucional  nº 54/17, responsável por congelar os gastos públicos, no estado, por dez anos (até 2027).

“É preciso ampliar as capacitações dos professores. É preciso investir na escola para que ela se torne mais interessante e capaz de assegurar a permanência dos jovens, principalmente os do Ensino Médio, que acabam saindo para trabalhar e não retornam. O índice de evasão ainda é alto nesse sentido, portanto. O índice de analfabetismo funcional é alto. Para se ter melhorias nesse sentido, uma das coisas importantes é garantir os recursos”, ponderou a assessora parlamentar.

O PEE tem como referência o Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado em 2014, sob previsão constitucional (artigo 214). Dentre os objetivos comuns a ambos estão: a erradicação do analfabetismo; a universalização do atendimento escolar; a formação humanística, científica e tecnológica; a aplicação de recursos do PIB (Produto Interno Bruto).

Além das funções já citadas, à Alego compete ainda avaliar e monitorar, de forma contínua, o cumprimento das metas estipuladas no PEE. Tal competência é compartilhada igualmente pela própria Seduce, juntamente com o Conselho e o Fórum Estadual de Educação (CEE e FEE, respectivamente).

Além do PEE, esta Casa de Leis também recém-editou as seguintes obras: Constituição do Estado, Código de Defesa do Consumidor e Estatuto da Criança e do Adolescente. Impressas no mês de maio, as quatro publicações somaram, juntas, uma tiragem total de 8 mil cópias.

Assembleia em Tempo Real

18/01/2019

13:12 - Encerramento das atividades

12:52 - Primeira prova do concurso da Alego ocorre neste domingo, dia 20

11:02 - Protagonista dos últimos meses Lívio Luciano faz balanço de seu trabalho como deputado

10:42 - Henrique Arantes quer revogação de lei sobre isonomia e pensões

09:49 - José Nelto propõe que municípios goianos do entorno do DF se tornem região metropolitana

08:51 - Bruno Peixoto defende inserção da Romaria de Guarinos no Calendário Cultural de Goiás

07:17 - Talles Barreto propõe alteração em lei que beneficia servidor portador de deficiência

06:55 - Início das atividades

17/01/2019

13:07 - Encerramento das atividades

12:33 - Pojeto de lei de Simeyzon Silveira visa desenvolver programas assistenciais

11:03 - Projeto obriga hospitais a ter equipamentos para mamografia em mulheres deficientes

09:07 - Festival de Orquídeas de Piracanjuba pode integrar calendário oficial do Estado

07:21 - Proposta prevê contrapartida a empresa que financiar bolsas de estudo

06:51 - Início das atividades

16/01/2019

13:29 - Encerramento das atividades

12:55 - Descumprimento de Lei que combate crimes contra a mulher está apta a análise do Plenário

11:34 - Deputados manifestam pesar pela morte do juiz Adir Barreto

11:34 - Francisco Oliveira admite sessões extras na Assembleia a partir de 22 de janeiro

10:40 - Isaura Lemos propõe política de prevenção à violência doméstica em Goiás

09:05 - Álvaro Guimarães se solidariza com Talles pela morte do pai dele, Antônio Barreto

07:55 - Proposta que implementa Estatuto da Família em Goiás tramita na CCJ

07:15 - Presidente da Assembleia manifesta pesar pela morte do pai do deputado Talles Barreto

06:44 - Início das atividades

15/01/2019

23:01 - Encerramento das atividades

Assembleia Legislativa do Estado de Goiás - Palácio Alfredo Nasser - Alameda dos Buritis, 231
Setor Oeste - CEP: 74115-900 - Tel: (62) 3221-3000.

Carregando...