Acesso à
Transparência

Alego receberá doações de sangue para o Hemocentro nesta terça-feira, 19

18 de Fevereiro de 2019 às 09:33

A Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) dará início, nesta terça-feira, 19, à 14ª edição da campanha de doação de sangue para o Hemocentro. Para a coleta, o Poder Legislativo receberá uma unidade móvel da Hemoceg, que se manterá estacionada na entrada do prédio para fazer a triagem dos doadores.

Como de costume, a Assembleia e demais órgãos públicos promovem campanhas de estímulo a doação de sangue. Os bancos do Estado, especialmente o Hemocentro, que é o banco central das doações, têm déficit no número de bolsas. Logo, iniciativas como essa são fundamentais e refletem diretamente no estoque da unidade — que distribui também para todo Estado.

Nomeada pelo novo presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSB), como titular da Diretoria de Saúde e Meio Ambiente de Trabalho da Casa, a médica Raquel Lúcio Franco se diz esperançosa para a primeira campanha que irá enfrentar em sua gestão. Tendo em vista a chegada de um grande evento, a diretora considera o momento oportuno para que os interessados se prontifiquem a doar. “Estamos nos aproximando do carnaval. É comum haver, neste período, grande trânsito de pessoas. Infelizmente, os acidentes acontecem e as estatísticas normalmente são altas diante de um evento tão significativo.”

Ela explica que, com a chegada da estrutura e da equipe especializada do Hemocentro, todo o procedimento é realizado na própria Casa. Ela lembra que os doadores não terão transtorno algum, inclusive do ponto de vista físico, pois receberão atestados e serão submetidos a um período de repouso para que possam se recuperar completamente.

Raquel Franco diz que é fundamental que a sociedade entenda a importância de uma doação. “A carência é geral para todos os tipos sanguíneos. Sangue é vida. Por meio deste componente vital é que podemos manter acesa a chama da vida”, pontua em convite a todos àqueles que se encontram aptos a "colaborarem com o próximo".

Requisitos básicos para quem quer doar:

Estar em boas condições de saúde.

Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos. 

Pesar no mínimo 50kg.

Estar descansado (ter dormido pelo menos quatro horas nas últimas 24 horas).

Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação).

Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Impedimentos temporários

Resfriado: aguardar sete dias após desaparecimento dos sintomas.

Gravidez

90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.

Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).

Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.

Tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses.

Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.

Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc): aguardar seis meses.

Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por sete dias.

Cirurgia odontológica com anestesia geral: por quatro semanas.

Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses.

Vacina contra gripe: por 48 horas.

Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões.

Herpes Zoster: apto após seis meses da cura (vírus Varicella Zoster).

Brasil: Estados como Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são locais onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses Estados deve aguardar 12 meses para doar, após o retorno.

EUA: quem esteve nesse país deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno.

Europa: quem morou na Europa após 1980, verificar aptidão para doação no (11) 4573-7800. 

Malária: quem esteve em países com alta prevalência de malária deve aguardar 12 meses após o retorno para doar. (critério semelhante ao dos Estados brasileiros com prevalência elevada de malária).

Febre Amarela: quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno; se tomou a vacina, deve aguardar quatro semanas; se contraiu a doença, deve aguardar seis meses após recuperação completa (clínica e laboratorial). Detalhes dos locais podem ser vistos no Portal da Saúde (clique aqui).

Impedimentos definitivos

Hepatite após os 11 anos de idade.

Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e doença de Chagas.

Uso de drogas ilícitas injetáveis.

Malária.

Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva; Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: Recusa definitiva; Hepatite por Medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente; Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.

Compartilhar